PERSEGUIÇÃO: Cristãos são condenados a 500 chibatadas e 10 anos de prisão na Arábia

16/05/2013 17:37

 

A fuga de uma jovem saudita para conseguir se converter ao cristianismo, rendeu uma condenação de 500 chibatadas e prisão aos dois homens que foram identificados como incentivadores e facilitadores da fuga.

Um dos homens, libanês, foi condenado na Arábia Saudita a 300 chicotadas e seis anos de prisão por ter oferecido livros sobre o cristianismo à jovem. O segundo, de nacionalidade saudita, foi condenado a 200 chibatadas e dois anos de prisão, por providenciar documentos que permitissem a viagem da jovem, que atualmente vive na Suécia, sob proteção de organizações não governamentais.

 

De acordo com informações da Agência France Press, os três trabalhavam juntos numa companhia de seguros na cidade de Al Khobar, localizada no leste do país. O caso ficou conhecido internacionalmente como “A garota de Khobar”, após a divulgação de um vídeo em que a jovem afirmava ter escolhido o cristianismo como religião.

 

O caso provocou grande comoção na Arábia Saudita, e os homens que agora foram condenados, passaram a ser investigados pela Justiça de Al Khobar após ações de um advogado contratado pela família da jovem. Após a divulgação da sentença, a família divulgou uma nota se dizendo satisfeita com a decisão da Justiça.

A Arábia Saudita é conhecida pela aplicação conservadora e severa da lei islâmica, que prevê condenação à morte em caso de muçulmanos que se convertam a outra religião. Esse teria sido o motivo principal da fuga da jovem.

 

De acordo com informações da Missão Portas Abertas, a fuga da “garota de Khobar” foi possibilitada pela ajuda de um grupo cristão no Líbano, que a recebeu antes de enviá-la para a Suécia.

 

Fonte: GospelMaisNotícias